Mais uma Jornada Pedagógica em Afonso Cunha

Na manhã do passado dia 25 de fevereiro (2ª feira), aconteceu na Escola Raimunda Lima, em Afonso Cunha, a 3.ª edição da Jornada Pedagógica para professores. Além do prefeito afonso-cunhense, Arquimedes Bacelar, estiveram presentes várias figuras de importância, incluindo secretários e representantes do governo estadual.

Como habitualmente, o objetivo da Jornada Pedagógica é preparar o início do ano letivo, que está agora se aproximando, e atualizar os professores sobre as melhores práticas de ensino e os desafios que se colocam, à medida que a própria sociedade vai mudando. A professora Suely Barbosa de Moura esteve encarregada do corpo principal da palestra.

Houve também tempo para uma interpretação cultural pelo Coral Aliança, da Igreja Assembleia de Deus.

Educação: desafio urgente

O lema “escola sem partido” foi uma das bandeiras fortes da campanha eleitoral do PSL e do novo presidente Jair Bolsonaro. Porém, depois de sua vitória, muitos desafios continuam. Como é possível motivar as crianças sem um ensino de qualidade e se as condições econômicas e familiares não permitirem? Até onde deverá ir a figura de autoridade do professor, em um tempo em que é cada vez mais necessária a autonomia do aluno na escola e do trabalhador na empresa? Deve permitir-se o uso do celular na sala de aula? Com que limites?

No passado mês de fevereiro, os bispos do Brasil, em uma iniciativa da Arquidiocese do Rio de Janeiro, se encontraram para debater os problemas da educação. Entre as várias conclusões, estão a maior distância entre a Igreja e a sociedade nos dias de hoje e a necessidade de a Igreja ir à procura do que está movendo a sociedade, sem perder seus princípios.

Entretanto, o Ministério da Educação, em uma proposta de valorização dos símbolos nacionais, pediu às escolas a leitura de uma carta do ministro da Educação e, em seguida, que as crianças sejam filmadas cantando o Hino Nacional (notícia Globo). O assunto gerou uma pequena polêmica nos dias seguintes.